Como incentivar jovens à prática da pesca | Universo da Pesca
Pensou Loja de Pesca, Universo da Pesca
Publicado: 27/09/2019

Como incentivar jovens à prática da pesca

De pai para filho - Como incentivar os jovens à prática da pesca

A vida moderna a que estamos acostumados é indiscutivelmente confortável, e cada vez mais facilidades e funcionalidades são criadas – mas esse movimento vem desconectando os jovens do contato com a natureza, esportes ao ar livre e práticas como a pescaria.

Em meio a tantas ofertas de entretenimento e agitação, espaços tem sido criados no relacionamentos entre pais e filhos, e a pescaria pode ser uma aliada na reaproximação desse laço tão poderoso.

Neste artigo vamos explorar um pouco as alternativas para os pais incentivarem os jovens à pratica da pescaria.

A desconexão com o legado

Nós vivemos um momento muito novo nas relações familiares, sem precedentes na nossa história.

Estudos apontam que 60% dos jovens de hoje trabalharão em empregos que ainda não existem, e aliado a isso existe um movimento natural de repulsa dos jovens pelas atividades profissionais dos pais.

Aquela tradição dos herdeiros cuidarem dos negócios da família tem se tornado cada vez mais distante nas dinâmicas familiares – muito pela intensidade de dedicação ao trabalho que os jovens presenciaram com seus pais.

Essa repulsa pela vontade de se dedicar ao trabalho da mesma forma se estende pelo desinteresse dos filhos nas atividades dos pais.

Por outro lado, a velocidade dos avanços de tecnologia que os jovens vivem parece rápido demais para os pais – e isso acaba promovendo o desinteresse de ambas as partes.

Primeiro momento – se abra para o novo

Para começar a derrubar estas barreiras, pode partir dos pais a iniciativa de se interessar pelos assuntos de interesse dos filhos, inclusive podendo participar de algumas de suas atividades e rotinas.

É um momento de aproximação e de demonstrar que você respeita tudo aquilo que é importante para este jovem que vem se acostumando a descobrir o mundo sem espaço para compartilhar informações dentro de casa.

Pesquise, se interesse, incentive e participe – antes mesmo da tão sonhada pescaria de pai e filho, você poderá viver algumas aventuras dentro do universo dos jovens.

Segundo momento – Um de cá, um de lá

Uma das dinâmicas de pai e filho mais incríveis que presenciei é de um amigo fisiculturista, e seu filho também gosta do esporte, então para apimentar a relação eles criaram um revezamento de rotina.

Durante uma semana o pai faz os treinos que o filho faz, bem como as brincadeiras e entretenimentos que ele propõe, e na semana seguinte as vontades do pai são atendidas e o espaço de ideias e propostas toma lugar com a experiência.

Este tipo de dinâmica reforça a relação de respeito e confiança que ambas as partes podem exercitar entre si.

Você não precisa começar em um nível tão intenso como este de dinâmicas semanais, mas comece acompanhando seu filho nas suas atividades preferidas uma vez por mês, sendo acompanhado por ele também uma vez por mês.

Pode ser este o caminho que vai estreitar a relação de pai e filho que precisa ser reforçada, e é este tipo de atitude que vai trazer o seu filho para junto da beira d’agua.

Terceiro momento – compartilhe histórias

Algo interessante que essa nova geração aprendeu a apreciar, e a nossa geração tem de sobra são as histórias – mas você pode criar algumas estratégias para apresentar uma narrativa viva para o seu filho.

Apresente ao seu filho um lugar ou um objetivo que tenha uma história pessoal para você – pode ser aquele molinete que o seu pai usava, ou o pesqueiro que o seu pai frequentava, até mesmo o canivete que o seu pai te entregou.

Histórias conectadas a coisas físicas e reais ou à lugares acessíveis vão ajudar você a reviver bons momentos e compartilhar boas histórias de sua vida para o seu filho.

Este é o tipo de momento que realmente gera conexão, onde você também tem a oportunidade de compartilhar com o seu filho uma visão pouco relembrada – de que você também foi jovem.

Este também é um momento especial para criar novas memórias afetivas e ancorar sentimentos, então pode ser um momento bacana para dar um presente ao seu filho como símbolo de um dia em que você teve a oportunidade de compartilhar com ele um hobby seu que te deixa alegre.

Uma carretilha, um molinete, uma varinha especial, um boné que você tenha um igual – um presente especial que vai lembra-lo a todo momento que o usar que ótimo dia vocês tiveram juntos.

Ah, e não se esqueça de fazer este dia ser um bom dia – não reclame do trânsito ou da mãe dele que o jovem pode se irritar facilmente, os jovens não têm paciência com reclamações e lamentos da vida cotidiana, este é um dia feito para ser especial, e mesmo que não dê peixe nenhum, certamente será uma história a mais para contar.

E você, tem alguma história para compartilhar conosco sobre a sua pescaria com seu filho, ou com seu pai? Vamos manter essa história viva.

Voltar